Portaria virtual oferece mais segurança e menos custos para condomínios

Rede Bandeirantes que, ao trocar sua portaria tradicional por uma virtual, economizou R$ 670 mil por ano

Portaria virtual oferece mais segurança e menos custos para condomínios

Rede Bandeirantes que, ao trocar sua portaria tradicional por uma virtual, economizou R$ 670 mil por ano

A folha de pagamento é a principal fonte de despesas de um condomínio seja residencial ou corporativo. Com foco na redução de custos, a fabricante sueca Axis Communications fornece soluções para a adoção da portaria virtual.

A tecnologia para controle de acesso de funcionários e visitantes oferece vantagens como: a redução na folha de pagamento ao dispensar a função de porteiro/vigilante e seus folguistas; redução do potencial gasto com ações trabalhistas e menor número de colaboradores para simplificar a gestão. Além disso, o registro confiável de cada acesso aumenta a segurança e permite investigações rápidas e a impessoalidade do operador responsável pelo controle reduzindo potenciais conflitos.

Rede Bandeirantes economizou R$ 670 mil por ano após adoção de portaria virtual

Um dos casos recentes que utiliza o videoporteiro da Axis é a Rede Bandeirantes que, ao trocar sua portaria tradicional por uma virtual, economizou R$ 670 mil por ano e agilizou a liberação de veículos de 3 minutos para 30 segundos.

O local possui um fluxo contínuo de veículos de visitantes, equipe técnica, elenco, carga e descarga de materiais e taxis, além de mais de 200 veículos de link – que movimentavam a portaria da sede da Rede Bandeirante de Televisão, em São Paulo, no bairro do Morumbi. Lá, os seguranças ficavam em postos físicos, 24h por dia.

O processo levava 3 minutos, incluindo a identificação do condutor, anotação dos dados numa planilha, comunicação via rádio com a central, a emissão da autorização e liberação do veículo para uma eclusa. Enquanto isso, os carros ficavam sujeitos à abordagem de criminosos. Depois dessa primeira etapa, o portão externo era fechado, e um segundo agente fazia uma triagem, abrindo o veículo e o porta-malas para uma vistoria. Só então a entrada no prédio era liberada. "Havia um sistema de comunicação analógico e burocrático”, lembra Jorge Lula, especialista em segurança da JL Imagens.

Para agilizar esse processo, a contratação de mais agentes era uma possibilidade, mas de altíssimo custo. Os gastos, que já eram de R$ 56 mil por mês (R$ 672 mil por ano), aumentariam ainda mais, sem garantir mais segurança.

"Nós havíamos conhecido o videoporteiro da Axis na feira ISC Brasil. Depois, visitamos o escritório da Axis e recebemos equipamentos para teste”, conta Lula. O novo projeto, implantado pelo consultor da WZS Soluções e gestor de segurança da Rede Bandeirantes, Willian de Souza, combinou o videoporteiro AXIS A8105-E com as câmeras AXIS M3105-LVE para visualizar as placas, bem como o interior do carro. O infra-vermelho integrado ajuda a ver detalhes à noite.

"Conseguimos aproveitar a central de monitoramento que já tínhamos e agregamos a tarefa de portaria remota a ela. Os custos para a implantação do projeto foram apenas a aquisição das soluções e o storage para o armazenamento de imagens que precisa ser dedicado à operação”, conta Willian de Souza.

Novo conceito

O atendimento, abertura e fechamento da eclusa passaram a ser 100% remotos, evitando que o portão arranhasse algum carro. Com a solução de portaria virtual, a Band diminuiu em 84% o tempo para identificação e liberação do visitante – de 3 minutos para apenas 30 segundos. Na prática, o veículo chega à portaria e se identifica pelo interfone sem apertar nenhum botão para se comunicar com a central.

Dentro da eclusa, também por áudio, a equipe da central solicita que o motorista acenda a luz interna do carro, saia do automóvel e abra o porta-malas. Com a qualidade das câmeras, o agente de segurança verifica as imagens e, caso esteja tudo em ordem, libera a entrada ou a saída.

"Não é necessário apertar nenhum botão para falar. A central está na escuta 24 horas por dia. O áudio de retorno é muito bom e o visitante escuta perfeitamente de dentro do carro, assim como pode falar normalmente, sem gritar, e ser ouvido do outro lado. Não há chiados, o volume é adequado, e o principal, é mais seguro, econômico e estável”, considera Willian de Souza. "Já tenho outros projetos em mente e vamos avançar com outras tecnologias como a solução de leitura de placas da Axis. Em seguida, pretendemos estender a solução IP para todo o parque”, finaliza Willian.

Compartilhe essa página

Deixe seu comentário