Morte de jovem por PMs em condomínio de Porto Alegre deve passar por reconstituição

Lucas Soares Silva, 21 anos, foi baleado em ação policial no Condomínio Princesa Isabel, no bairro Azenha

Morte de jovem por PMs em condomínio de Porto Alegre deve passar por reconstituição

Lucas Soares Silva, 21 anos, foi baleado em ação policial no Condomínio Princesa Isabel, no bairro Azenha

O Departamento de Homicídios da Polícia Civil que reconstituir a noite de 24 de março de 2018 para esclarecer a morte de Lucas Soares Silva, 21 anos, durante ocorrência da Brigada Militar (BM) no Condomínio Princesa Isabel, no bairro Azenha, em Porto Alegre. As acentuadas divergências de versões entre o que dizem moradores e policiais militareslevaram os investigadores a decidir por remontar o ocorrido. 
Os policiais militares dizem que foram recebidos a tiros no condomínio após atender a uma ocorrência de roubo a uma fruteira na Rua Jacinto Gomes. O jovem seria um dos suspeitos identificados pelo roubo.
Já os moradores dizem que os agentes renderam o rapaz e, mesmo ele estando com os braços acima da cabeça, abriram fogo contra ele. Depois, na versão dos moradores, ainda foi arrastado para o porta-malas de uma viatura. 
— Estamos pedindo o procedimento por existirem duas versões. Então, nada melhor do que uma reconstituição para apurar qual está mais próxima do que de fato aconteceu naquele dia —  afirma o delegado Gabriel Bicca, diretor de investigações do Departamento de Homicídios. 
Ainda não há data para a reconstituição, que precisará ser acompanhada pelo Instituto-Geral de Perícias (IGP). Os agentes devem precisar acessar apartamentos de moradores pararealizar a ação. 
Após a morte de Silva, moradores do condomínio fizeram um protesto queimando pneus e bloqueando a Avenida Bento Gonçalves. A família do jovem pediu à Secretaria de Segurança Pública (SSP) a responsabilização dos policiais.


Compartilhe essa página

Deixe seu comentário