Condomínios aderem à portaria remota para aumentar a segurança

A procura por tecnologias para aumentar a segurança é cada vez mais comum entre os condomínios brasileiros. Conheça a portaria remota.

Condomínios aderem à portaria remota para aumentar a segurança

A procura por tecnologias para aumentar a segurança é cada vez mais comum entre os condomínios brasileiros. Conheça a portaria remota.

Problemas de segurança preocupam brasileiros de todo o país, seja em grandes ou pequenas cidades. Nos condomínios essa também é a realidade, por isso, a procura por tecnologias para aumentar a segurança é cada vez mais comum.    Os números mostram que a realidade é preocupante, mesmo para quem escolheu um condomínio para ter mais segurança. No estado de São Paulo, por exemplo, o número de roubos e furtos cresceu 56% em 2018. Foram mais de 1.300 crimes só entre janeiro e abril do último ano.   A pesquisa do PNAD de 2009 (IBGE) revelou que pelo menos 60% dos domicílios brasileiros têm um dispositivo de segurança. Desde o levantamento, muita coisa mudou e a adoção desse tipo de tecnologia tornou-se ainda mais frequente em residências e condomínios.   A portaria remota é um desses dispositivos, presente entre os 180 mil condomínios que existem no Brasil. Representa uma forma de controlar entradas e saídas de edifícios e conjuntos de residências.

 


 
 
Foto: iStock / DINO

 

 


Como funciona a portaria remota

É um sistema eletrônico com controle de acessos. O visitante só entra no condomínio quando um dos moradores autoriza sua entrada ou se possui um QR Code de acesso. Isso ocorre através do contato da base de atendimento com o morador.   Toda essa movimentação, entradas e saídas, são registradas e compõem um relatório detalhado de ações. Dessa forma os moradores têm a certeza de que só pessoas autorizadas entram no condomínio, mesmo em caso de pane elétrica, a solução continuará funcionando normalmente.  

Onde encontrar?

  A Porter Secure Access é uma empresa que presta esse serviço. Presente em 40 cidades do Brasil e Santiago, no Chile, atende mais de 100 mil usuários e 500 condomínios.   

Compartilhe essa página

Deixe seu comentário